Luto: verdadeiro ou falso?

18-11-2013 11:27

Nas mídias sociais, tornou-se moda, as pessoas aumentarem seus nomes com a palavra luto. Exemplo: Maria de Fátima luto. Não dizem por quem, não explicam nada em suas páginas e a sensação que se tem é que essa pessoa está arrasada e triste. Logo, quem tem juízo nem se aproxima. Já chega de tanta desgraça particular.

O que vem a ser o luto?

“Sentimento humano de respeito e pesar pela morte de outro ser humano”.

“A característica inicial do processo de luto acontece pelas relembranças da perda aliada ao sentimento de tristeza e choro, sendo que a pessoa se consola logo após. Este é um processo que evolui, onde as relembranças são intercaladas com cenas agradáveis e desagradáveis, sem, necessariamente, ser acompanhadas de tristeza e choro. Além destes sentimentos, é comum o estado de choque, a raiva, a hostilidade, a solidão, a agitação, a ansiedade e a fadiga. Sensações físicas como vazio no estômago e aperto no peito podem ocorrer.

A duração deste processo é inconstante e seguido de uma notável falta de interesse pelo mundo exterior. Com o passar do tempo, o choro e a tristeza vão diminuindo e é esperado que a pessoa vai se reorganizando, porém é um processo a longo prazo e os episódios de recaída são comuns. Caso alguém não consiga lidar de uma forma socialmente adequada com a perda por mais de 6 meses, continue em intenso sofrimento e/ou não consiga se reorganizar é considerado um luto patológico e é recomendado que faça psicoterapia.

Existem escalas para medir a gravidade do luto que avaliam fatores emocional, cognitivo, físico, social espiritual/religioso. Um exemplo é a escala proposta por David Fireman: Pensando a respeito da família, o luto pode provocar uma crise na mesma, pois exige a tarefa de renúncia, de excluir e incluir novos papéis na cena familiar. Percebe-se então que existe aí uma complexidade, pois esta crise pode estagnar o desenvolvimento da família, fator que pode definir o processo de luto.

Entre alguns psicólogos é comum se referir as pessoas significativas em processo de luto pela perda de um ente querido como sobreviventes como forma de reforçar positivamente a luta pela sobrevivência diante de desafios difíceis.

Como forma de encarar melhor a morte o psicólogo pode ressaltar o caráter de fim do sofrimento da morte ou mesmo estimular moderadamente crenças religiosas/espirituais positivas independente da religião do indivíduo. Outra possibilidade é associar a morte com um descanso, tranquilidade, paz, retorno para a natureza e parte natural do ciclo da vida.”

 

Essa é a base do luto mas não é o que se vê acontecendo com quem diz estar de luto, na maioria das vezes, nas redes sociais. Mesmo porque, quem está de luto, não gosta nem de falar que está para que nem se fale sobre o tal assunto que trará mais sofrimento ainda. E o que é pior, algumas pessoas que estão de “luto”, parecem que não sabem ou realmente não sentem esse luto pois não deixam de viver a vida da melhor forma possível, a balada não é esquecida, a bebedeira do fim de semana também não, as viagens e festas nem pensar. Quem está de luto sofre como se estivesse doente, nem tem vontade de viver e no fundo o que quer, é encontrar o ente querido que se foi. Porém, se você verificar o álbum de fotos, se impressiona com a quantidade tirada em festas e diversões variadas, pela pessoa que diz estar de luto. Sem noção!

É de profundo mau gosto, alguém dizer que está de luto quando sequer sabe definir e vivenciar essa situação tão pesarosa.

Alguém de luto, veste-se de negro, vive de olhos marejados de lágrimas e se isola de todos. Então, em respeito ao verdadeiro sentido de luto, quem tem essa mania horrorosa de dizer que está de luto só para aparecer, deveria mudar e dizer a quem de direito, no caso para o familiar do morto, um simples, “que você tenha forças para suportar essa dor, sinto muito”. E deixar o morto descansar em paz e sua família também. E se o luto for pessoal, se quem perdeu alguém muito próximo é quem está escrevendo luto após seu nome, não o faça. Dê um tempo nas redes sociais, descanse, componha-se e depois volte ao convívio normal. Não vale a pena, ficar chorando mágoas para o mundo pois a maioria nem percebe sua dor.

 

“W.H. Auden, com sua tristeza sem concessões: o sol pode se apagar e o mar secar, diz o poeta, porque nada mais poderá dar certo depois da morte do amado” . Olha a profundidade da dor, a dificuldade de se continuar a viver... Isso é estar de luto, isso é realmente sentir pela falta de alguém. Será que as pessoas que dizem estar de luto estão realmente assim? Por que alguém diz algo que não sente? Para aparecer? Para conseguir mais amigos? Ou por que está na moda? Lamentável as atitudes tomadas. Triste ver que o ser humano está valendo zero.

"Entre os poucos versos da poetisa Safo (século VI a.C.) que chegaram até os dias de hoje, há um fragmento curto mas pungente que fala de uma jovem que morre pouco antes de seu casamento, e das amigas que, conforme o costume grego, cortaram o cabelo em sinal de luto. No século XIII, Dante tratou, em prosa e verso, da morte de sua jovem amada Beatriz em Vida Nova. Ele encerrava essa obra breve prometendo que, em livros futuros, diria de Beatriz "o que nunca foi dito de mulher alguma". Cumpriu o prometido: na Divina Comédia, Beatriz aparece no Paraíso, cercada de luz. No extremo oposto dessa idealização arrebatada, teríamos a poesia de Augusto dos Anjos, brasileiro da virada do século XIX para o XX. Carregados de um bizarro léxico científico, seus poemas centram-se na realidade física da morte. Há um soneto sobre a decomposição do pai do poeta, e outro em que seu filho que nasceu morto aos sete meses de gestação é descrito como um "fruto rubro de carne agonizante"."

 

Manual de etiqueta do luto

Esse talvez seja um dos assuntos mais difíceis de ser tratados. Você deve estar se perguntando, será que ainda nessa hora tenho que me preocupar com etiqueta e elegância? Não é bem isso. Por ser constrangedor, porque a maioria das pessoas não sabe como agir, o que dizer na hora de manifestar seu apoio a quem acaba de perder um ente querido é que resolvemos fazer algumas reflexões sobre o que estamos chamando de manual de etiqueta do luto.

Mais do que ajudar você a encarar com naturalidade esse momento, estamos propondo um exercício de respeito e de real solidariedade ao próximo.

· Frases como ' eu sei o que é isso', 'entendo seu sofrimento', 'sei o que você está sentindo', não tem efeito algum. Ninguém sabe, ninguém entende o sofrimento do outro, por mais que já tenha passado por isso. Cada um sofre e sente a sua maneira. Evite.

· Não interprete os fatos e não tire lição de moral para dar ao outro. Evite usar 'poderia ter sido pior', 'pelo menos ele/a não sofreu'.

· Ofereça sua companhia a pessoa enlutada, mas não tenha a pretensão de acabar com seu sofrimento. Ela precisa superar a dor.

· Procure se informar sobre a religião da família. Por exemplo:

1. Flores - para os católicos é comum enviar flores; para os mulçumanos e espíritas o envio de flores não tem sentido algum. Os judeus não têm esse hábito, consideram inadequada a mistura de flores, que são vida, com a morte.

2. Condolências - os judeus não cumprimentam os enlutados no velório. Os mulçumanos só recebem depois de fechada a cova. Os japoneses e budistas cumprimentam em primeiro lugar o chefe da família, ou quem estiver em seu lugar.

3. Evangélicos - O velório é destinado ao bem-estar emocional e espiritual da família, o caixão pode ser deixado sozinho.

· Sempre compareça aos velórios. Não se engane, sua presença ou ausência vai ser notada. Caso não possa, envie um telegrama ou cartão.

· Por mais íntimo que você seja, procure comparecer ao velório, ao enterro e/ou à missa de 7º. Dia. Evite visitas em casa.

· Não fique o tempo todo lembrando a perda. Sempre que encontrar a pessoa enlutada cumprimente-a naturalmente, e demonstre sua alegria de tê-la por perto. Aja como gostaria que agissem com você.

· Lembre-se, principalmente nesse momento, seja discreto. Não tente aparecer a qualquer custo.Aproxime-se da família enlutada e um simples 'sinto muito' pode dizer muita coisa, principalmente se dito de coração.

 

Sites consultados:

http://veja.abril.com.br/260406/p_122.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Luto

http://www.orm.com.br/

—————

Voltar